• Acessibilidade
  • +
  • -
  • Youtube OABRN
  • Facebook OABRN
  • Instagram OABRN
  • Twitter OABRN

24 de março, 2020 OAB/RN elabora boletim diário com informações e orientações de saúde e COVID-19

Por: Aura Mazda

Atualizada às 15h desta sexta-feira (27/03/2020) 

A OAB/RN reuniu as principais informações sobre a situação da pandemia de COVID-19 no Rio Grande do Norte, medidas de precaução e orientações à população.  As fontes utilizadas são: Ministério da Saúde, Organização Mundial de Saúde, Secretaria Estadual da Saúde Pública e Secretaria Municipal de Saúde de Natal. 

A OAB/RN e a Caixa de Assistência dos Advogados do RN (CAARN), criaram na quarta-feira (18), por meio da Portaria nº 047/2020, a Comissão de Acompanhamento do Coronavírus e seus Impactos, com a finalidade de coletar e analisar informações relativas à advocacia e às consequências decorrentes da disseminação do COVID-19 no Estado.

Cenário no RN

O Rio Grande do Norte possui 28 casos confirmados de Covid-19, o novo coronavírus. A informação é do secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia Vasconcelos, em entrevista coletiva no começo da tarde desta sexta-feira (27), ao lado da governadora Fátima Bezerra. Outros 11 testes deram positivo e vão passar pela contraprova para serem considerados confirmados. O Estado investiga quatro mortes por Covid-19.


Campanha de vacinação 

Começou nesta segunda-feira (23) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. De acordo com Ministério da Saúde, nesta primeira etapa, os públicos prioritários são idosos e trabalhadores da saúde. Mais duas etapas serão realizadas para públicos diferentes. Para se vacinar, procure um posto de saúde mais próximo de casa. 

Novo coronavírus
A vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus. No entanto, em virtude da pandemia de coronavírus, poderá auxiliar profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para o Covid-19, já que os sintomas são parecidos.

Segundo o ministério, casos mais graves de infecção por coronavírus têm sido registrados pelo mundo em pessoas acima de 60 anos, grupo que corresponde a 20,8 milhões de pessoas no Brasil. Por isso, a primeira etapa da campanha contempla esse público.

Próximas etapas

A etapa seguinte da campanha terá início no dia 16 de abril, com o objetivo de vacinar doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança. A última fase, que começa no dia 9 de maio, dará prioridade a crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Calendário

23/03 a 15/04 – Idosos acima de 60 anos e profissionais da saúde;
16/04 a 08/05 – Professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além de doentes crônicos;
09/05 a 22/05 – Crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto até 45 dias, pessoas de 55 a 59 anos sem doenças crônicas, população indígena em geral.

Prevenção contra o COVID-19 

As precauções recomendadas para o público em geral são:

- Lavagem de mãos frequente com água e sabão, com duração mínima de 20 segundos, ou usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
- Evitar tocar nos olhos, nariz e boca, com as mãos não lavadas;
- Evitar contato próximo com pessoas doentes;
- Ficar em casa quando estiver doente;
- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com lenço de papel descartável, jogando-o no lixo após uso;
- Manter os ambientes bem ventilados;
- Limpar e desinfetar objetos e superfície tocados com frequência;
- Não compartilhar objetos de uso pessoal (talheres, pratos ou garrafas);
- Evitar aglomeração de pessoas;
- Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
- Evitar viagens à China e países com transmissão local do vírus, neste momento, e se possível evitar locais com casos suspeitos da doença.

Orientações aos possíveis doentes 

O paciente com a doença COVID-19 apresenta geralmente os seguintes sintomas e sinais:

 • Febre (>37,8oC);
 Tosse;
Dispneia;
Mialgia e fadiga;
Sintomas respiratórios superiores; 
 Sintomas gastrointestinais, como diarreia (mais raros).

A recomendação do Ministério da Saúde é que a população permaneça em isolamento domiciliar. Caso identifique os sintomas, como: tosse seca, febre e dificuldade de respirar fique em isolamento. Procure uma unidade de saúde apenas se os sintomas se agravarem.

Confira os endereços em Natal:

Confira as principais Unidades de Saúde nas demais cidades do RN AQUI.  


Paciente com prioridade no atendimento:

Pessoas acima de 60 anos, imunossuprimidos (HIV+, transplantados, etc), pacientes com doenças crônicas, gestantes e puérperas

Caso seja suspeito de positivo para COVID-19

Manter paciente em quarto isolado e bem ventilado até o fim do período sintomático. Destacam-se os seguintes fatores do cuidado do paciente em isolamento: a higiene respiratória e os hábitos saudáveis de alimentação. Todos os contatos domiciliares do paciente também deverão realizar isolamento domiciliar por 14 dias. Caso apresentar os sintomas, deverão entrar em contato com a equipe de saúde para receber atendimento.

Fonte: Ministério da Saúde 

ORIENTAÇÕES PARA QUEM CHEGA AO RN

Os viajantes oriundos de áreas de contaminação devem ficar em quarentena de 14 dias, mesmo que não apresentem sintomas;
Se ocorrer a apresentação de sintomas do coronavírus, deve entrar em contato com uma unidade de saúde e informar sobre o histórico de viagem;
Manter a caderneta de vacinação atualizada, inclusive, atentando para o início da vacinação e o vírus da gripe Influenza.

ORIENTAÇÃO PARA QUEM PRETENDE VIAJAR
Pessoas doentes devem adiar ou evitar viajar para as áreas afetadas por coronavírus;
Os viajantes devem seguir os protocolos de saúde dos estados e países receptores;
Manter a caderneta de vacinação atualizada, inclusive, atentando para o início da vacinação e o vírus da gripe Influenza.

RECOMENDAÇÕES
Está proibido o acesso a academias, teatros e cinemas, Para shoppings centers e feiras livres, deve-se respeitar regras de espaçamento para evitar aglomeração e garantir a segurança das pessoas.

VOLTAR